7 dicas para uma melhor gestão do seu escritório de advocacia

7 dicas para uma melhor gestão do seu escritório de advocacia

Gerir uma empresa de advocacia de sucesso pode parecer uma missão impossível, principalmente se começou a sua aventura empresarial de uma maneira desorganizada ou apressada.

No entanto, assim que aprende as melhores práticas da indústria, vai perceber que é uma missão perfeitamente possível, e bem mais fácil do que imagina.

Continue a ler e descubra sete dicas para uma melhor gestão do seu escritório de advocacia!

1. Crie um plano de negócio (e siga-o)

Quer estejamos a falar de um escritório de advocacia, de uma mercearia ou de uma agência de marketing: para ser sustentável e lucrativo, todo e qualquer negócio precisa de ser baseado num plano.

De outra maneira, torna-se difícil (ou até impossível) monitorizar a performance da empresa e saber que passos dar para alcançar os seus objetivos da maneira mais rápida e eficiente possível.

Assim, o primeiro passo a dar para garantir a melhor gestão de um escritório legal é criar um plano de negócio que inclua:

  • Um resumo acerca do seu escritório;
  • Uma análise dos seus principais competidores;
  • Uma análise SWOT;
  • Detalhes acerca de investimentos e orçamentos;
  • Estratégia de marketing;
  • Objetivos SMART.

2. Escolha um nicho dentro da prática legal

Existem várias categorias dentro de prática legal e, visto que o seu escritório é uma empresa média ou pequena, será mais vantajoso para si focar-se num só nicho, ao invés de oferecer serviços gerais.

Ao tomar esta decisão de negócio, não só irá fazer com que possíveis clientes o vejam como um especialista na área (e assim, sintam mais confiança nos seus serviços), mas irá também facilitar a tarefa de promover a sua empresa, já que terá um ponto diferenciador claro que poderá usar em qualquer peça de comunicação.

3. Contrate profissionais para tratar de tarefas administrativas

Tal como acontece em qualquer outra indústria, gerir um escritório de advocacia requer mais do que tratar de tarefas legais.

Existem tarefas administrativas, de marketing, de apoio ao cliente, e de recursos humanos que é absolutamente necessário atender, mas que vão ocupar demasiado do seu tempo. E, claro, há medida que atrai mais e mais clientes, este tipo de tarefas continuará a aumentar.

Afinal, quando decidiu começar um escritório de advocacia, foi para poder fazer aquilo de que mais gosta!

Se for possível, contrate pessoas a tempo inteiro de acordo com as necessidades da sua empresa. Se ultrapassar o seu orçamento, lembre-se de que pode sempre contratar profissionais em regime freelancer e, assim, poupar algum dinheiro.

4. Crie um sistema de arquivamento de documentos

Gerir um escritório de advocacia significa lidar com bastante papelada, por isso, é essencial que cria um sistema que lhe permita ter tudo sempre organizado.

Hoje em dia, a tecnologia está do seu lado, já que lhe permite arrumar tudo em pastas que não ocupam espaço no escritório e não acabam por causar demasiada desordem.

No entanto, continua a ser necessário desenvolver um sistema, principalmente no que toca a passwords e segurança, pois usando a internet, estará sempre suscetível a ataques de cibercrime.

Assim, desenvolva os sistemas de organização de documentos, tanto físicos como digitais, e garanta que todos os seus empregados os conhecem e seguem.

 

5. Invista em marketing digital

Hoje em dia, qualquer empresa, independentemente da indústria em que atua, do número de empregados, ou dos objetivos de negócio, tem muito a beneficiar de uma boa presença online.

Três componentes do marketing digital que são absolutamente necessárias são:

  • SEO, ou seja, esforços para melhorar a sua posição nas páginas dos motores de pesquisa.
  • Redes sociais e anúncios pagos, de modo a aparecerem no feed dos seus potenciais clientes.
  • Marketing de conteúdos, através da publicação de artigos no seu website que demonstrem as suas competências.

Melhorar a sua presença digital é um trabalho contínuo e que requer algum conhecimento específico (assim como tempo livre), mas a boa notícia é que é o tipo de tarefa que pode facilmente passar a um freelancer ou uma agência.

 

6. Utilize software jurídico

Como dissemos há pouco, a tecnologia está do seu lado e isso é fácil de perceber assim que pesquisa as palavras “software jurídico” no Google.

Este tipo de software irá ajudá-lo a manter o seu negócio organizado e a agilizar o seu fluxo de trabalho, o que é vantajoso para qualquer empresa.

E, então, qual é o melhor software que pode escolher para o seu negócio? Bem, a resposta varia de caso para caso e não há nada como experimentar as diferentes ferramentas durante um determinado período de tempo para saber aquilo que funciona para si e para a sua equipa.

 

7. Analise os seus resultados ao longo do tempo

Lembra-se da nossa primeira dica, quando falámos da importância de estabelecer objetivos SMART para a sua empresa?

Só há uma maneira de saber quão perto está de os alcançar, ou até se já os alcançou: monitorizar a sua performance regularmente. Assim, conseguirá sempre saber em que direção levar a sua firma e se é necessário atualizar a sua estratégia inicial.

Preparado para melhorar a gestão do seu escritório de advocacia?

Manter a sua empresa organizada, tirar tempo para criar, rever e atualizar a sua estratégia de negócio, saber como promover os seus serviços são os três grandes segredos para gerir o seu escritório da melhor maneira. Lembre-se sempre disso e conseguirá alcançar todos os seus objetivos!

 

Se você gostou"7 dicas para uma melhor gestão do seu escritório de advocacia"
Você também pode gostar de:

Subsídio de férias, desemprego e mais: Um guia rápido acerca dos tipos de subsídios
Subsídio de férias, desemprego e mais: Um guia rápido acerca dos tipos de subsídios
Saber
Mercado de capitais primário vs secundário: Qual é a diferença?
Mercado de capitais primário vs secundário: Qual é a diferença?
Saber
5 dicas simples para começar a fazer investimentos financeiros
5 dicas simples para começar a fazer investimentos financeiros
Saber

É Advogado ou Solicitador?